Conheça os 6 melhores picos de Surf das Américas

71 Views 0 Comment
Surf em Tofo

Os 6 melhores picos de Surf das Américas

Se você, assim como eu ama surfar, se liga nos 6 melhores picos de surfe das Américas!

Lembrando que antes de fazer uma Surf Trip é muito importante contratar um bom seguro saúde para não ter problemas durante a sua viagem, porque quando viajamos para praticar esportes imprevistos acontecem!

Se liga que aqui temos descontos!

Lembre-se que para fazer qualquer viagem internacional é preciso fazer um bom seguro. Acesse Seguros Promo e use o Cupom: HORANAESTRADA5 e ganhe até 15% de desconto pagando no boleto!

1# San Salvador/El Salvador

Esse pode ser considerado um dos melhores picos de Surf das Américas situado na América Central, limitado a norte e a leste pelas Honduras, a sul pelo Oceano Pacífico e a oeste pela Guatemala. É o único país da América Central que não é banhado pelo Mar do Caribe, tendo apenas costa pacífica. Em termos de área, é o menor país da América continental.

El Salvador possui duas regiões de surfe: a região de La Libertad ao norte e a região de las Flores, no sul do país. A melhor época de ondas é entre abril-novembro, que é a época com maior constância de swell de direção sul, com bons ventos. Clima: A melhor época para surfar em El Salvador é durante a estação chuvosa (maio a outubro), quando as ondulações de Sul chegam a América Central, trazendo ondas que variam de 4 a 8 pés em média. A maioria dos dias tem predomínio do sol com pancadas de chuvas geralmente à tarde e a noite.

Surf Costa Rica
Surf Costa Rica

Tem um post aqui no Blog sobre um surf trip que fiz para a Costa Rica! Veja o post completo.

Picos:

Região Norte: melhor pico da região, point break de direitas que pode chegar quebrar com até 500mts de extensão;
Região Sul: LA LIBERTAD – esta é a onda mais famosa de El Salvador e se divide em duas Punta Rocas 1-2, localizada na cidade de mesmo nome La Libertad a onda quebra sobre um point de direitas perfeito que nos dias bons chega a rolar por mais de 1 km !!!

Dicas:

Ficar meia-trip na região de La Libertad e meia-trip na região de Las Flores.
Em Punta Roca possui muito localismo. Tentar se hospedar em El Tucon/Sunzal.
Não precisa alugar carro em El Salvador. Avaliar os custos de transfers ou carro alugado.
Levar uma prancha maior para surfar Sunzal e os outros picos nos dias grandes.

2# Jamaica

Jamaica tem surf quase o ano todo. O verão (junho a setembro) e o inverno (dezembro a março) são as melhores épocas. Na primavera e no outono rola um bom surf, mas pode ser intermitente. Picos: A Jamaica tem vários locais para a prática do surf entre as regiões Nordeste e Sudeste da ilha. A maioria dos picos, quase 90% deles tem o fundo de coral. O tamanho normal dos melhores dias é de 2 a 3,5 metros.

aulas de Surfe em Tofo
Aulas de Surfe em Tofo – Moçambique

Em Tofo – Moçambique, fiz umas aulas de Surfe em um dos melhores picos do país, na pria de Tofinho. Confira o post.

Dica:

Quando for surfar na Jamaica, não se esqueça de levar bastante parafina e tudo que precise para surfar e seja amistoso, leve em quantidade para os locais também.
Levar pranchas 5’10, 6’2 e 6’8 que darão conta do surf.

3# Califórnia

É considerada o Estado mais rico dos E.U.A e com as melhores ondas do país . Possui uma grande variedade de esportes radicais (Pistas de Skate, campo de paraquedismo e com certeza muito surf). A variedade de ondas é enorme podendo quebrar desde 3 até 45 pés, podendo ser ondas lisas, longas e tubulares.

Surf California
Surf California

Clima:

A Califórnia pode oferecer ondas durante o ano todo, porém durante o verão (Junho – Agosto) podem ocorrer alguns períodos flat. A melhor época para as Surf Trips da Califórnia é entre setembro e fevereiro. O Swell por lá é constante o ano inteiro, mas essa é uma ótima data para enfrentar o mar sem crowd.
A temperatura da água no inverno pode ser bem baixa, um Long John 3.2 mm será bem vindo.

Picos:

Trestles – Possui 2 picos (Lower e Upper) direita tubular e extensa sobre um fundo de pedras redondas.
Malibu – Pico dos Longboarders funciona melhor no verão.
Rincon – Uma das direitas mais extensas do planeta, tão manobrável que pode cansar as pernas(berço do Tom Currem).

Black’s Beach – Muito famosa pelas suas fortes ondas em um Beach Break. Um dos picos mais constantes da Califórnia.
Mavericks – Localizada no Norte da Califórnia onde quebram uma das mais desafiadoras ondas do planeta, podendo chegar aos 45 pés. Cowells Beach – É a praia “urbana” de Santa Cruz, entre o píer e o farol da cidade. Como está localizada em uma baía, os ventos não conseguem chegar até aqui, fazendo com que este seja um pico perfeito para quem está aprendendo a surfar. Embora seja um pico cheio de surfistas, o ambiente é tranquilo e sem muita competitividade.
Obs:
Depois de cansar do crowd dê uma escapada para a Baja Califórnia. Em picos próximos à fronteira quebram altas ondas.
Montanhas russas verticais, snowboard e mountain bikes podem garantir a adrenalina nos dias flat.

4# Panamá

A ilha é uma máquina de ondas. Com fundos de corais, no Panamá você irá encontrar uma maior variedade de ondas do que na Costa Rica, no lado caribenho. Paunch, Carenero, Bluff, Wisard, entre outras, são ondas de potencial internacional e lembram um parque de diversões pela perfeição. Para a maioria delas o acesso se dá por barcos onde paga-se para ir e para voltar. Combina-se um horário com o barqueiro, ele o leva e o busca novamente.

Clima:

Água turquesa, sempre quente e ondas com fundo de coral é o que você irá encontrar aqui. A temporada de ondas é de novembro a março.

Picos:

Carenero: Estas ondas ficam na ponta de fora da ilha de Carenero. São três seções de ondas em fundo de coral e raso. Triângulos perfeitos com altos tubos quebrando na rasa bancada de coral na seção de fora, que é sempre maior, mais constante e sem crowd. Esquerdas longas e rápidas na seção de dentro, esta onda é rápida, tubular e para frente. Muitos tubos no inside.
Punch: Direitas e esquerdas na ilha principal (Colón). Onda manobrável, mais cheia, bem constante. Quando o mar sobe quebram várias ondas ao longo da praia. Fundo de pedra e coral. A entrada e saída do mar podem causar alguns cortes nos pés. Uma boa idéia é usar uma botinha.

Dumper`s: Existem duas ondas nesta baía com fundo de pedra. Dumper´s de dentro é uma esquerda boa e regular. Dumper`s de fora é uma onda tubular e quebra geralmente no mesmo lugar, tubo seco e largo. O crowd pode incomodar, mas bem cedo as ondas quebram solitárias.
Bluff: É um beach break bem mais afastado da cidade, geralmente sem crowd. Muitas valas ao longo da praia.
Silver Back: É a onda mais radical e poderosa da região. Geralmente quebra com tamanho. Direita forte, tubular e casca grossa. O lip é grosso e rápido. O drop é vertical, o tubo é o único caminho para a felicidade. Precisa de pranchas maiores a partir de 7`4“ até 8`pés para surfar com segurança.
Wizard Beach: Beach Break muito constante com esquerdas e direitas com boa formação.
Dicas:
Para surfar no Panamá um quiver com pranchas que variem de 6’2 , 6,9 até uma 7’2 é aconselhável, já para os mais atirados, as grandes ondulações que quebram em Catalina e Nestles requerem pranchas que vão de 7,4 até 8’0.

5# Nicarágua

Os melhores surf breaks se concentram ao longo do litoral sudoeste do Pacífico, sendo a maioria deles difícil de ser encontrada, Para chegar até eles é necessário o auxílio dos guias e uma boa caminhonete 4×4 ou um barco. Clima: A melhor época de surf na Nicarágua é de abril a outubro, sendo a segunda quinzena de agosto até inicio de outubro a temporada de chuvas. Mesmo na temporada de chuvas rolam ótimas ondas, mas o acesso a algumas praias fica mais complicado.

Picos:

O país tem basicamente duas regiões de surfe:
Ao sul, a região de Rivas, tem uma média de 330 dias de terral por ano devido à influência do lago da Nicaragua. O principal pico é Popoyo. E ao norte da Nica, tem Puerto Sandino.
Principais praias: Santana, Colorado, Astilleros, Lances Left e Playgrounds. Para Lances Left e Playground tem que fazer uma boat trip.

Dicas:

O crowd é tranquilo e a maior parte são de turistas americanos. Há alguns poucos e amistosos surfistas locais que podem dar boas dicas sobre picos na região.

6# Peru

O país é recomendado para quem quer surfar ondas de qualidade e possui ondas de todos os níveis. É um ótimo país para viagens curtas ou para quem quer gastar pouco.
Clima: Para os big riders, maio e junho, nos arredores de Punta Hermosa. Para tube riders, o período de novembro a janeiro é quando a Pipeline peruana, Cabo Blanco, acontece.

Picos

PUNTA HERMOSA (REGIÃO CENTRAL DO PERU)

Punta Rocas: direitas e esquerdas, de 8 a 10 pés. Provavelmente a onda mais constante do Peru, quando os picos da região estào flat, lá é sempre possível encontrar ondas de 1 metro no pico.

Kontike: Point de esquerdas e direitas em que começam a funcionar quando o swell passa dos 6 pés, onda localizada no outside entre La Isla e Punta Rocas.
La Isla: Em frente ao centrinho. Olhando de for não parece ter a mesma força que se encontra dentro d’água.
Pico Alto: Um pouco mais ao norte, temos a Waimea sul-americana, com ondas realmente grandes, de 15 a 25 pés.
Señoritas: Esquerda sobre pedras, rápida e perigosa.
Caballeros: Direita perfeita.
El Silêncio: Onda hot dog, pico dos bodyboarders peruanos.
Herradura: Em plena Lima, é considerada uma das melhores ondas do país. Crowd agressivo acima do limite.

NORTE DO PERU

Chicama: A esquerda mais longa do mundo, com uma perfeição mecânica inacreditável. A onda geralmente costuma quebrar depois que ondulações grandes vindas do quadrante sul passam pela região de Punta Hermosa e chegam com 4-6 pés perfeitos nos picos de Chicama produzindo paredes com seções tubulares e manobraveis.
EL FARO: Reef break de esquerdas, ondas com seções manobraveis e tubulares, lugar pouco explorado perto de Hunchaco. Cuidado, drop em frente a uma enorme pedra, não vacile !!!
Cabo Blanco: Tubo para esquerda alucinante. Crowd pesadíssimo nos poucos dias em que fica clássica. Organos: Outra esquerda excelente, que permite combinação de manobras ultra-radicais.
Mancora: Point break longo e divetido.

REGIÃO SUL DO PERU

San Gallan: Uma direita tubular ao estilo balinês, que quebra na ilha de mesmo nome. O acesso é por barco, a partir do Porto de Paracas, localizado três horas ao sul de Lima.
Cerro Azul: Pico com um point de esquerda e uma direita ao lado do píer. Vilarejo a uma hora e meia ao sul de Lima.
San Bartolo Peñascal: uma desafiadora direita quebrando com freqüência na faixa de 10 a 12pés.
Obs:
No inverno, long john 3 mm, botinha, leash acima de 8 pés e muita disposição. No verão, short john 2 mm, calção e lycra

Essa foi uma lista que fiz com os 6 melhores picos de Surf das Américas mas principalmente no Brasil, temos muitos picos que são ótimos, como


Conte comigo!

Para roteiros personalizados, conte com o serviço de Roteiro Personalizado.

Preparo um roteiro Day by Day  baseado na minha experiência e de agências locais, com dicas de hotel, restaurantes e passeios.

Caso prefira montar sua viagem, ofereço o serviço de revisar seu roteiro e dar minha opinião do que é possível e do que não dá para fazer em cada um dos dias.   

Caso prefira montar toda a viagem sozinho, siga minhas dicas e reserve pelos links seguros que coloquei aqui no blog, com os melhores parceiros.

O Hora na Estrada faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros abaixo, ganho uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter. 😉


HospedagemAluguel de CarrosSeguro Viagem |Internet Ilimitada


Bjs da Hora 🙂

0 Comments

Leave a Comment